Por que eu não consigo gostar dela?

A grande problemática que envolve a questão homossexual hoje no Brasil é a procura por direitos e a aceitação. A dúvida para mim existe no momento em que o tópico “direitos” se define como norte e não a “aceitação”. Por mais que seja árdua a batalha que envolve a plena inclusão homossexual na constituição, ela se torna infinitamente menor do que à procura pelo respeito alheio.

Eu, na minha ignorância, passei anos sem me questionar o que eu realmente procurava. Entretanto, após entrevistar o diretor da GALE, Peter Dankmeijer, acordei e vi que determinar como batalha ganha um direito assistido é burrice. Nas palavras de Dankmeijer:

–  Same sex civil unions are an important achievement, but only part of the legal struggle. In some cases, authorities and even gays and lesbians think that marriage is the crown and final station of emancipation, forgetting that social acceptance is more important in the public sphere.

Esta pequena introdução serve para ilustrar um projeto que conheci há algumas semanas, chamado Projeto Bem-me-quer.  O Bem-me-quer não se limita a abordar a sexualidade e questionar os valores estagnados da nossa sociedade, ele vai muito além. Atinge um segmento especifico, complexo e imprescindível  na criação de qualquer mudança: o universo infantil.

As ações são baseadas em três artifícios: cultura, mídia e educação; que vão de mostras e exposições audiovisuais a eventos culturais e capacitação de educadores. Mas de todas as ações, uma me chamou atenção pela sensibilidade e o pioneirismo: a Coleção de livros infantis Bem-Me-Quer. Eis o release do site:

Uma das ações do nosso projeto é a produção e a publicação da Coleção Bem-Me-Quer, um conjunto de 10 livros infanto-juvenis que tratam de temas relacionados à diversidade. De uma maneira criativa e didática, as histórias tendem a suscitar a reflexão sobre a intolerância em crianças e jovens, já que os livros primam pela diversidade, inclusive no estilo da escrita e nos traços das imagens. Participaram do projeto vários autores e ilustradores, reconhecidos nacional e internacionalmente, como Ana Cláudia Ramos, Jonas Ribeiro, Anna Raquel, Gilles Eduar, Adriana Falcão, Chico Salles, Eliana Carneiro, Maurenilson Freire, Márcia Cristina Silva, Flávia Lins e Silva, Raquel Echenique, Jô Oliveira, José C. Lollo e Leicia Gotlibowski. Com tanta gente, cada livro tem um tom, um traço, uma letra. Cordel, narrativas, poesia, aventuras, descobertas, conflitos, superação e compreensão são temas trabalhados para estimular os leitores a perceberem a riqueza de ser diferente.
O décimo exemplar da coleção é um áudio livro, que possibilita, aos deficientes visuais, o acesso a todas as histórias. Gravado em Brasília, foi produzido e editado por Jorge Brasil.
Patrocinada pela Fundação Itaú Social, a coleção terá uma tiragem inicial de 26.000 livros, que serão distribuídos gratuitamente para 2.600 escolas da Rede Pública em todo o Brasil.

colocaoaooa

O mágico da iniciativa é que pela primeira vez a discussão acerca da homossexualidade foi tratada de forma sutil, inserida em um contexto simples, permitindo a comparação com outros tipos de preconceitos que talvez a criança já abomine. Destaque para a obra intitulada Por que  eu  não  consigo gostar  dela?, de Ana Claudia Ramos e desenhado por Maurenilson Freire, que ilustrou também  O Salto da Borboleta,  escrito por Márcia Cristina Silva e que fala da questão de gênero.

Se você como eu, se interessou pelo projeto e deseja ajudar de alguma maneira vá até a sessão ‘Como ajudar’ no site onde é possível contribuir através de voluntariado, doações financeiras e materiais.  Sobre os livros, vou me informar se existe alguma maneira de adquiri-los e quando souber informo.

6 respostas para Por que eu não consigo gostar dela?

  1. Roberto Dias disse:

    Se minha colaboração significar ajuda, eu publiquei minha Monografia de Conclusão de Curso sobre essa temática:
    Favor verificar o link:
    http://www.dolado.com.br/diversao-arte/livro/o-principe-o-mocinho-ou-o-heroi-podem-ser-gays.html

  2. Alexandre disse:

    Boa Noite…
    acabo de encontrar seu blog e ja fiquei apaixonado nas suas palavras e seu modo de escrever sobre essa luta incessante, que é a luta por igualdade, dignidade, respeito, igualdade, etc.

    Bom, no Brasil é visivel o quanto somos deficientes em muitos aspectos, no que diz respeito a educação então! Falta praticamente tudo. Inclusive professores preparados para lidar com as diferenças dentro das salas de aulas!
    Achei fantastico esse projeto e ja sou mais um fã e colaborador!

    Abraços

  3. Roberto Dias disse:

    Obrigado pelo elogio.
    Você pode adquirir o livro acessando o link acima.
    Qualquer coisa, entra em contato.
    Roberto Dias

  4. Haline disse:

    Oi, vim conhecer seu blog pq vi o link lá na lubom. Adorei! Volto pra comentar mais coisas. bjobjo

  5. Cláudia Tereza Varella Neves disse:

    Escutei ontem no Semiário de Sáude e Prevenção nas Escolas e indicação da Professora Crisitina Salomão. Gostei muito e gostaria de saber onde posso adquirí-los?

  6. Zahngold disse:

    Ahaa, its nice discussion on the topic of this post here
    at this web site, I have read all that, so at this time me
    also commenting at this place.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: