Razões para se assumir numa entrevista de emprego

Na sua vida privada, é bem possível que você já tenha vencido o medo de sair do armário, e até já tenha se assumido para os seus pais (se você não fez nada disso ainda, vale a pena pensar bem a respeito e seguir algumas dicas quando resolver contar ao mundo que você é gay). E no seu trabalho, as pessoas já sabem da sua homossexualidade?

O Homomento encontrou, no site Lesbilicious, um guia com 9 motivos para se assumir no ambiente de trabalho desde o primeiro contato com a chefia. Alguns fatos citados só se aplicam à realidade britânica, mas de maneira geral as dicas servem para nós também. Confira a tradução do artigo!

9 motivos para se assumir em uma entrevista de emprego

“Desempregada” é uma palavra assustadora, e “desempregada no meio da recessão” é uma frase ainda mais assustadora.

Então quando você finalmente consegue uma entrevista de emprego, todo mundo sabe que você deve se vestir bem, sorrir bastante e não fazer nada que possa lhe prejudicar… como revelar que você é lésbica. Certo? Errado errado errado, escreve Rosie Kirk.

Assumir-se

Imagine essa cena: é o fim da entrevista de emprego. Tudo correu bem, e sua nova chefe está apenas encerrando a entrevista com algumas amenidades. Ela pergunta como você chegou até o escritório. “Vim de carona com meu bebê”, você diz. “Que legal da parte dele”, ela diz.

Só que não foi legal da parte “dele”, foi legal da parte “dela”. O que você faz? Você deveria sair do armário em uma entrevista de emprego? Sim. E aqui há 9 motivos para isso.

1. Mostra que você é corajosa

Assumir-se não é fácil. A homofobia prevalece, e você nunca sabe como as pessoas vão reagir. Assumir-se para um desconhecido que detém poder sobre você é, então, uma decisão corajosa. Um empregador esperto reconhecerá isso, e verá os benefícios de contratar alguém que tem coragem e que vai se impor em nome da companhia.

2. Mostra que você é honesta

A verdade desagradável é que quando você não corrige uma presunção de heterossexualidade você está sendo desonesta. Afinal, você pode sorrir e concordar quando alguém pergunta se você tem um namorado, mas o que acontece quando lhe perguntam o nome dele? Minta uma vez e você se verá criando mais e mais mentiras, até que você terá inventado uma vida inteira.

3. É lisonjeador para a empresa

A maioria das empresas gosta de pensar que eles são lugares receptivos e cabeça aberta, que não discriminariam LGBTs nem em sonho. Assumindo-se na entrevista, você de certa forma os elogia, por mostrar que acredita nessa imagem da empresa. No fim das contas, ela pode até ser verdadeira.

4. Pontos a mais no questionário de seleção

Discriminação positiva: a ruína de todos os homens brancos, leitores do Daily Mail, cheios de privilégios. É verdade que muitas empresas estão tentando recrutar mão-de-obra mais diversificada, mas infelizmente sua sexualidade não vai lhe garantir o emprego. Afinal, se fosse tão fácil, todos se declarariam como pessoas LGBT cadeirantes não caucasianas…, certo?

5. Torna a homossexualidade normal

Para um número cada vez maior de pessoas – e isso inclui potencialmente seu novo chefe – sexualidade simplesmente não é uma grande coisa. Mencione o assunto no meio da conversa e eles não vão nem ficar chocados, e você se perguntará por que tanto barulho por nada.

6. Você não tem nada a perder

Na Inglaterra, na verdade é ilegal que uma empresa se recuse a contratar alguém por causa de sua sexualidade. Se você tem certeza de que ter se assumido fez com que você perdesse a vaga, então você tem motivos para levar o caso para a Justiça. Claro que o grande problema é provar que sua sexualidade é a razão pela qual você não conseguiu o emprego. Mas se você acha que tem um caso concreto, especialmente se você tem qualquer prova, procure orientação jurídica.

7. Corta as piadas com gays

É deprimente e um sinal de fraqueza, mas às vezes gerentes fazem vista grossa para piadas feitas contra gays/imigrantes/insira outras minorias aqui. Afinal, essas piadas são “inofensivas” – ou seja, não há ninguém dessa minoria por perto que possa ficar chateado. Mas, magicamente, ter alguém faz parte de uma minoria na sala imediatamente deixa a piada sem graça nenhuma, e as piadinhas acabam.

8. Economiza tempo

Saia do armário na entrevista e se tudo der certo os rumores vão fazer boa parte do trabalho antes que você comece. As pessoas podem fingir que não sabem que você é lésbica, mas é provável que elas saibam – e isso quer dizer que elas não vão cometer nenhuma gafe que constrangeria tanto eles quanto você em seu primeiro dia de trabalho.

9. Livra você dos homofóbicos

Claro que você quer um emprego, mas você realmente quer estar presa 40 horas por semana em um escritório cheio de homofóbicos daqui a seis meses? Só Deus sabe o quão miserável você estará se sentindo se isso acontecer.

Sair do armário como “estilo de vida”

Assumir-se é um processo que dura a vida toda. Você pode ser 100% assumida, mas a cada vez que você conhece alguém novo, seja um conhecido, vizinho ou colega de trabalho, você terá que se dizer lésbica de novo.

Lembre-se que não se trata de “exibir” sua sexualidade, ou “jogar na cara das pessoas” – é só corrigir aquela presunção, na maioria das vezes concebida por heterossexuais, e assumida por heterossexuais na maior parte do tempo, de que todo mundo é hétero também.

E essa presunção se aplica a você também – enquanto estiver preocupada se deve ou não se assumir, considere isso: como você tem tanta certeza de que seu chefe é heterossexual?

7 respostas para Razões para se assumir numa entrevista de emprego

  1. Pedro Cassel disse:

    Essa é sim uma visão MUITO otimista, ainda mais pro contexto brasileiro. Mas os motivos 2, 8 e 9 me convenceram.

  2. José disse:

    Realmente, gostei MUITO! Vale lembrar que, dependendo da área, há uma abertura maior pra ser sincero quanto à sexualidade. Áreas como a de educação, línguas, venda, etc. levam isso mais na boa, por ter, como exemplo, um professor homossexual que pode espelhar os alunos a se assumirem e serem sossegados com questões sexuais também, respeitando-o e admirando-o como professor e/ou pessoa.

  3. Cláudio F. disse:

    Eu acho extremamente complicado. Na entrevista, aqui no Brasil, eu não recomendaria. Depois que te conhecem no trabalho e sabem que tu és competente e que, de fato, não há outros motivos que impeçam esta assunção, sem nenhum problema. Mas cautela é fundamental, e hora certa para dizer, também.
    Verdade seja BEM dita: Ainda há RACISMO no Brasil na hora de conseguir trabalho, tendo em vista isso, o preconceito sexual é muito maior.
    Vou ter que fazer o advogado do Diabo e ser pessimista em relação a função de professor assumir sua sexualidade. Temos recentemente o caso da professora baiana que foi demitida graças ao advento do youtube e a inclusão digital. Infelizmente, na visão heterocêntrica da sociedade, homossexuais nivelam-se a atitude da professora. Se não forem piores. Claro que há travestis professoras e funcionárias públicas que são respeitadas. Temos o caso famoso da Bianca Exótica, que dá aula de inglês na Rede pública de São Paulo há mais de 10 anos. Ela é competente? Demais. Mas o preconceito existe e vai ser maior ou menor dependendo da instituição. Diga que é homossexual numa entrevista de emprego para uma escola marista, por exemplo.

    A Inglaterra, além de neoliberal (não tem quase funcionários públicos), tem outra realidade e modo de ver as coisas.

  4. rodrigonunes14 disse:

    Gostei muito do seu blog
    quero fazer uma parceria com você

  5. Alexandre Lopes disse:

    Boa noite moderador.
    Sou homossexual assumido pra minha familia, e nos dois ultimos empregos me assumi tambem, não na entrevista, mas no decorrer do tempo, penso ser um começo!! E ainda que se cada um de nós, enquanto gueis, lesbicas, transexuais, travestis,e tantas outras ditas minorias se assumissem no espaço de trabalho, o estigma logo desapareceria porque estamos mostrando para a sociedade e a comunidade onde vivemos que somos cidadãos, trabalhamos, estudamos, amamos, sofremos, lutamos…afinal somos seres humanos!!!
    abraços

  6. Daniel disse:

    Excelente post! Os pontos 2, 7, 8 e 9 me convencem. Apenas não tenho certeza se o momento da entrevista é o mais adequado para assumir a homossexualidade.

    Gostaria de referir aqui que se assumir no ambiente de trabalho, na minha visão, faz parte do papel de cada homossexual como cidadão. Introjetar em espaços públicos, especialmente aqueles mais conservadores, a diversidade de condições sexuais não é mais papel do Estado e da mídia, que jamais conseguirão atingir diretamente um indivíduo de tal modo que o faça pensar sobre a questão com a seriedade que o assunto merece. Vivemos em um Estado poroso, que mexe suas lentas engrenagens apenas quando percebe verdadeiro clamor social sobre determinado assunto. Foi o que aconteceu com a questão da AIDS: um dos ministros da Saúde da década de 90 (não me recordo qual) chegou a afirmar publicamente que o HIV não estava entre as prioridades estatais, justamente por ser problema afeto à camada homossexual. A partir do momento em que o problema tomou proporões nacionais e coletivas, o Estado foi empurrado a atuar. Assim, penso que tal clamor não deve ser restrito ao âmbito do ativismo LGBTT, constituindo nossa tarefa disseminá-lo nas esferas pública e privada, em todas as camadas da sociedade.

  7. Jason disse:

    Gente! Lendo o artigo parece ser fácil. Na Inglaterra até pode ser,mas a nível de Brasil é um tiro no pé. E tem mais lésbicas ainda mais as femininas são vistas como motivo de fetiche,o preconceito é sem dúvidas muito menor em relação ao homem gay,ainda mais se for afeminado. No meu humilde ponto de vista não sei se seria indicado assumir sua sexualidade em uma entrevista se esta não lhe for questionada.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: