Caio, o amigo gay da Tina

No começo desse ano o criador da Turma da Mônica, Mauricio de Sousa, deu uma interessante entrevista para a Veja. Nela, o quadrinista fala sobre a abordagem de temas mais sérios – como o divórcio, por exemplo – nos seus gibis, seja nos clássicos da Mônica e companhia ou no recente Turma da Mônica Jovem. Quem lê o Homomento já viu meus elogios à Adriana Calcanhotto por tratar crianças com naturalidade e meu recente apelo para uma educação sexual problematizadora: fica até redundante dizer o quanto simpatizei com o seguinte trecho da entrevista.

Acontece que nas casas de hoje se pode conversar sobre tudo: sexo, drogas, violência. Se o pai não puxa esses assuntos, o filho de 5 anos faz isso por ele. É preciso parar de tratar as crianças como seres inferiores, sem senso crítico, sem experiência de vida. Tudo pode virar tema. Não é preciso censurar, apenas deve-se tomar cuidado para usar uma linguagem correta.

O discurso é bonito, mas não paremos por aqui. No restante da entrevista, Mauricio conta como os pais da personagem Xaveco se divorciaram e a situação foi sutilmente introduzida nas histórias, não havendo nenhum caso de reclamação por parte dos pais. Elogios à parte, é necessário lembrar que estamos bastante aquém do tempo em que divórcio era causa para polêmica: não deixa de ser até bastante atrasada essa abordagem do autor. O modus operandi dele fica bem claro em outro momento da entrevista – justamente no que tange à homossexualidade.

Tem gente pedindo para eu criar um personagem gay. Esse tema ainda é muito novo. Mas eu sei que, no futuro, se essa tendência continuar, será natural ter um homossexual na Turma. No meu estúdio, digo que não devemos levantar uma bandeira e ir à frente de uma passeata. Devemos segurar a bandeira quando ela já está passando. Precisamos falar a língua do dia e da hora, mas tomando certos cuidados. Foi com essa fórmula que construí minha carreira.

Mais recentemente, em sua participação no Roda Viva, reiterou, como nos conta o ACapa: “[Personagem gay, só] quando a sociedade estiver, toda ela, aceitando e preparada para isso”.

Poderíamos fazer uma pausa para questionar um pouco as colocações (quando, afinal, a sociedade vai estar TODA pronta e preparada para isso?), mas não é para lembrar dessas declarações que estou escrevendo a postagem. É para falar do novo personagem do gibi da Tina: o Caio.

A primeira aparição do Caio foi no número 6 da revista da Tina, pela editora Panini, lançada em novembro de 2009. O blog Cultureba alerta na manchete – “Caio, o primeiro personagem gay de Mauricio de Sousa”. Sem acesso ao gibi, fui procurar, muito curioso, mais referências à tal história. O Cada um no seu quadrinholança um balde d’água, explicando que fica tudo meio implícito.

Pelo que entendi, a história é mais ou menos assim: a Tina marca um encontro com um amigo misterioso e o namorado dela fica morrendo de ciúmes no decorrer da história. No final, ela apresenta o Caio pro namorado e dá um discurso sobre como é comum homens e mulheres terem amizades sem segundas intenções. O tal Caio ainda arremata, dizendo que é comprometido e dando a entender que é com um rapaz que está presente. Confiram o tal quadrinho, escaneado pelo Cena G.

Como nos conta a Folha, “o assessor afirma que a história não pretendeu ser categórica no lançamento de um personagem gay. Ele levanta até a possibilidade de que ele seja bissexual, no entanto. Ele também assegura que a história e o personagem terá a devida continuidade e encaminhamento”.

Não sei até que ponto a personagem não foi criada pra agradar quem estava pressionando ou até que ponto ela está lá por tratar-se de uma revista de aparente menor visibilidade, mas devo admitir que fiquei positivamente surpreso. Até onde eu sei a questão homossexual está pegando fogo atualmente, então não deixa de ser uma afronta ao próprio método pouco corajoso do Mauricio de falar dos assuntos só depois da discussão em torno deles se abrandar.

Eu poderia até reclamar aqui do quão mal esclarecida está a situação de homossexualidade ali (as velhas migalhas que nos dão nas hqs para ficarmos quietinhos), mas prefiro esperar para ver o direcionamento da história do Caio, por se tratar do gênero infantil, que tem um monte de particularidades. Um pouco de otimismo não faz mal a ninguém, não é? Ou vocês acham que estou encarando com bom humor demais?

8 respostas para Caio, o amigo gay da Tina

  1. Social comments and analytics for this post…

    This post was mentioned on Twitter by homomento: O discreto personagem gay do Mauricio de Sousa http://migre.me/bMuw

  2. Bárbara disse:

    Achei que é bem realista deixar implícito assim. Principalmente pela cara do Miguel na tirinha quando aparece o namorado.

  3. Tatiana Lionço disse:

    Eu acho a iniciativa super válida, principalmente pela forte oposição moral à inclusão do tema com criancas e adolescentes. Acredito que o caminho seja justamente incluir o tema sem necessariamente fazer disso um grande estardalhaço. Assim as crianças podem entrar em contato com a questão com naturalidade.

  4. Rafael disse:

    Eu acho que é tarde demais pra ele se vangloriar de ter criado um personagem gay. Tenho 23 anos e cresci lendo gibis do Mauricio de Souza, e em nenhum momento havia qualquer representação minha naquelas revistas. Hoje em dia, ele é praticamente obrigado a criar esse personagem. Se ele estivesse preocupado, de fato, com a inclusão e com a conscientização, teria feito isso há uns 20 anos.

  5. Sookie disse:

    Eu acho que você está encarando com otimismo demais, rsrsrs, me desculpe. Mas eu já não gostei dessa história que foi relatado “ele pode até ser bissexual”, eu não sei por quê de uns tempos para cá ser homossexual é sinônimo de coisa de outro mundo e ser bissexual é legal, lindo e natural. Sinto como se a questão na homossexualidade estivesse regredindo e o preconceito aumentando, pois agora ao que parece quando você não quer que alguém saiba que você é gay, é só falar que você é bi, e está tudo certo.
    O meu maior questionamento é, por que na hora que a coisa começa a esquentar você coloca a bisexualidade no meio é aí está tudo bem?
    Sinceramente, mais uma vez nesse pais, quando os evangélicos e católicos começarem com seus discursos hipócritas o Mauricio vai é recuar e vai fazer com que o Caio seja bissexual, ou recriar a história passando a imagem de que tudo não passou de um mal entendido, pois aí estará tudo lindo!

  6. “Eu achei super do bem este tipo de iniciativa, para acabar com o preconceito e a indiferença entre a aceitação do que é diferente na sociedade.”

  7. Happy' disse:

    Pois é Mauricio, eu, como vários leitores aqui presentes, também cresci lendo suas revistas, hoje, com 14 anos ainda tenho a tendencia a ler essas revistas, principalmente da Turma da Tina, não tenho preconceitos contra gays, ou homossexualsmo, eles que vivam a sua vida, mais vale notar que nossas crianças de hoje em dia não necessariamente precisam estar atualizadas sobre essas coisas, afinal, cada assunto no seu tempo, eu quando criança, lendo isso ficaria horrorizado, pois sempre fui acostumado a saber que homem e mulher são o perfeito casal, mais crescendo, vi que hoje os tempos estão mudando, mais as crianças terão sua escolha de relaçao sexual, um dia elas lidaram com isso e escolheram o que é certo para elas, mais, hoje em dia, elas estão sendo quase “puxadas” para esse mundo, de homossexualismo, drogas e etc. O homossexualismo não é uma coisa normal, ela nunca será tratada como uma coisa normal, pois desde de séculos passadoso homem e a mulher se destacaram para ficar juntos, escolha de Deus, nada mudará isso. Mais a escolha de ser homossexual deve ser feita com uma idade bem notável, com uma grande maioridade, pois a pessoa saberá o que está escolhendo, mais crianças, elas ainda não sabem nada a respeito disso, elas só querem se divertir lendo suas revistas, conhecendo novas histórias, mais ao se deparar com estas coisas, elas acharam normal ser gay, ou bissexual, dizendo: ” legal, tá na moda o homossexualismo.”, Mauricio, voce tem que saber as consequencias deste ato, antes de realiza-lo, pois os pais, não querm saber sobre histórias que aparecem nos seus gibis, mais eles compram, porque sempre tiveram confiança em voce, ou talvés porque também foram leitores, anteriormente, mais poucos sabem o que hoje se passa nas suas histórias, e é o dever deles saberem, alerte-os. Crianças são apenas crianças, não tente muda-las, uma criança de 5 anos não quer ler essas coisas, mais certamente ficar-a curiosa, e aprenderá mais cedo sobre essas coisas, como se fosse lindo, um pai dizendo: ” meu filho sabe tudo sobre isso, ele fará a escolha certa, quando chegar a hora.” Ele não vai não papai e mamãe, só se ele tiver uma consciencia melhor deste assunto, mais ele verá que para ser atualizado, ele terá de ser ver também focado neste mundo. Espero, que com este texto, que não foi nenhuma perda de tempo para mim, e creio que não será para voce leitor, voce possa mudar sua ideia a respeito do assunto. Pois é minha missão no mundo indicar a coisa certa a se fazer, de uma forma inteligente e intelectual, assim como Jesus e todas as suas palavras no Livro da Vida. Obrigado pela atenção.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: