O beijo da capa

Via Observatório da Imprensa:

Pelo menos 27 pessoas cancelaram suas assinaturas do Washington Post depois que o diário americano publicou, em sua primeira página, uma fotografia de dois homens de beijando. A foto foi tirada na quarta-feira da semana passada (3/3), dia em que a Suprema Corte dos EUA autorizou o distrito de Colúmbia a realizar casamentos entre pressoas do mesmo sexo, e publicada no dia seguinte.

Essa notícia me chamou muito a atenção. Em primeiro lugar, a confirmação da incômoda sensação de que a lei está muito aquém da opinião comum. A exagerada ênfase na luta pelos direitos parece criar a ilusão de que poder casar e ter leis antihomofobia garante respeito alheio. Pois bem: não garante coisa nenhuma. Tão aí os Estados Unidos, que mesmo assistindo a um avanço progressivo das leis homoafetivas, convivem com manifestações violentíssimas de homofobia. “Esse tipo de coisa faz pessoas normais quererem vomitar”, disse um dos leitores do Washington Post sobre a fotografia. Mais comedida, outra leitora reclamou: “eu preferia que as imagens de capa não fossem tão perturbadoras, já que meus filhos podem vê-las na mesa do café da manhã”.

A foto da capa, pra vocês darem aquela vomitadinha

Mas prossigamos:

Leitores descontentes sugeriram que a imagem poderia ter sido estampada na seção metropolitana, e não na primeira página; outros, mais radicais, defenderam que ela não deveria ter sido publicada de jeito nenhum. O ombdusman do jornal, Andrew Alexander, diz que é normal receber reclamações após a publicação de fotos consideradas polêmicas. Ele cita como exemplo recente as imagens de vítimas do terremoto no Haiti.

De que adianta casarmos e o raio que o parta se um beijo nosso faz as pessoas quererem vomitar? Se é tão “pesado” para a cabeça das pessoas quanto imagens de vítimas de um terremoto? Não, sério. Esse parelelo do ombudsman é tão absurdo que beira o engraçado.

É claro que os direitos são prioritários em vários aspectos, mas vejo alguns militantes tão obcecados com eles que parecem esquecer a força da mentalidade e da cultura. Para eles, repito duas palavrinhas – constantes aqui no blog: mídia e educação.

14 respostas para O beijo da capa

  1. Paulo disse:

    A luta pela garantia de direitos deve caminhar junto com a luta por visibilidade social. De nada adianta poder se casar se o preconceito persiste no trabalho, na escola, nas ruas. E isso só se combate aparecendo, obrigando esse tipo de gente a vomitar mesmo.

  2. Meu, e foi só um selinho!
    Deviam ter publicado um beijão BOM MESMO!

  3. Bárbara disse:

    A idéia de comentar que fotos recebem reclamações e dar o exemplo do Haiti não é dizer que são coisas similares. Eu acredito que as pessoas preconceituosas devem preferir mesmo fotos de mortos do que ter que conversar com os filhos sobre homossexuais abertamente.

  4. Mirela disse:

    Não entendi sua crítica quanto ao ombudsman, ele só comentou o que todo mundo sabe: a foto gerou polêmica. Não acho que a foto deveria ter sido publicada na primeira capa, um assunto desse porte deve ser abordado com calma, não jogando uma foto dessas. Sou homossexual assumida, antes que me atirem pedras, mas acho que sensacionalismo deve ser colocado na hora certa. Todos nós queremos respeito.

  5. Francisco disse:

    Pois que vomitem. Gente escrota sempre vai continuar existindo. Ter nossos direitos legais respeitados é mais importante que os chiliques dos babacas.

  6. magarotto disse:

    “De que adianta casarmos e o raio que o parta se um beijo nosso faz as pessoas quererem vomitar?” – Adianta muita coisa, pq eu quero ter o direito de casar com quem eu em entender e não dou a mínima para o vômito dos outros. O azar é deles! Agora, chamar de exagerada a ênfase na luta pelos nossos direitos é foda! Péssimo…

    • mas e aí, vamos ter direitos ilhados em nossas casas e apartamentos, enquanto as pessoas ainda têm uma formação cultural que as permite achar erradas as leis de homoafetividade? vamos ter uma belíssima lei antihomofobia que não servirá PRA NADA, só pra fazer do preconceito escrachado uma refinada hipocrisia social, como tantas outras no país?

      não é legal ser considerado menos cidadão pelo Estado e nem menos humano pelo senso comum. só acredito que voltar-se unicamente ao Estado não vai resolver todos os problemas.

  7. Luciene disse:

    Concordo com o Francisco: nada justifica a discriminação praticada pelo Estado. Se algumas pessoas vomitam vendo a foto de dois homens que se amam e resolveram se casar, que vomitem. Os direitos civis e sociais desses homens devem ser garantidos pelo Estado.

    Dizer o contrário seria o mesmo que afirmar que negros deveriam perder seus direitos por conta dos sentimentos dos racistas: absurdo.

  8. Benjamin Bee disse:

    Calma gente… é barulho demais. Nem todo mundo pode sair dizendo de cara e serenamente: “é a vida como ela é”.
    Eu até acho divertido ver os escandalizados hoje e imaginá-los a daqui vinte anos, quando toda polêmica acabar… quando começar a nascer os netos de famílias homoparentais. Quando as pessoas começarem a receber convites de casamento gays com a mesma naturalidade com que recebem os dos casamentos héteros.
    É tudo muito recente ainda e não há porque se chocar porque existe a homofobia. O importante é elaborar argumentos tranquilos que envergonhem os homofóbicos. E para isso é preciso calma antes de tudo.
    E lutar, lutar com todas as forças para que a criminalização da homofobia seja lei no Brasil.

  9. Benjamin Bee disse:

    Ah, sim. E que a foto tinha mesmo que sair na capa é de entendimento imediato. Casamento entre pessoas do mesmo sexo, e na capital amerciana é notícia pra abalar Bangu. É notícia alvissareira para todo mundo. Sinal de que a humanidade é capaz de rejeitar até mesmo milênios de tradição se a tradição cair no sectarismo.

  10. Alexandre disse:

    concordo com o texto. Buscar leis é importante, mas esse posicionamento de que o que eles pensam não nos importam é um fracasso. É claro que nos importam, eles não tiram nossos empregos pq a lei permite, eles tiram porque acham que é o certo.
    Não considerar a opinião pública como fator importante de nossa luta é transformar sim preconceito descarado em hipocrisia.

  11. JOAO disse:

    ACHO UMA OFENSA A SOCIEDADE COMUM A FAMILIA DOIS HOMENS OU DUAS MULHERES SE BEIJAREM EM PUBLICO CREIO QUE DEVERIA TAXATIVAMENTE SER PROIBIDO EM PUBLICO A MANIFESTACAO DE CARINHO OU A PALVRA MELHOR EMPREEDIDA (PUTARIA) ENTRE DOIS XX OU DOS YY EM PUBLICO… POIS AÍ OS OFENDIDOS SAO AS PESSOAS DE BEM QUE A MAIORIA DESTES SAO PROVOCADORES E COM CERTEZA SE HOUVER UMA LEI QUE LEGALIZE VAI HAVER UMA ONDA DE PROVOCACOES PUBLICAS SEM PALAVRAS MAS SIM COM LONGOS BEIJOS E MAINIFESTACAO DE CARINHO… MAS EM TODO CASO COMO TEM UM MONTE DE VIADO NA POLITICA E O QUE QUEREM E O VOTO DESTE POVO VAI SER AROVADO..

  12. Pedro Vasconcellos disse:

    Não podemos nos curvar ao medo de não agradar. Pode ter certeza que ainda hoje pessoas acham “nojento” termos fotos de casais interraciais nas capas do jornais, podem ter certeza que ainda temos pessoas que acham um absurdo terem um presidente negro. 27pessoas cancelaram a assinatura? isso não é nada comparada a tada a quantidade de assinantes do jornal. Por dia ele devem perder esse volume de assinates por centenas de outro motivos. Acho chato quando ficamos mais preocupados com a opinião do ódio, do quem com nossa própria felicidade.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: