Dourado: o inimigo público dos gays?

Esse ano resolvi quebrar uma tradição particular de oito anos e assistir ao Big Brother Brasil 10 (já tinha assistido ao primeiro). Alguns podem pensar que o fiz pela forte presença dos gays, mas confesso ter me posto frente à TV querendo me divertir, me propondo a não ficar analisando mídia ou sociedade.

Oito anos de abstinência me fizeram esquecer, no entanto, o quanto assistir ao Big Brother é por natureza uma experiência coletiva, que desperta involuntariamente o olhar crítico. Não só por conta da voz ativa do público na hora das eliminações, mas também pelos comentários das pessoas na rua, no supermercado, no trabalho, na faculdade. Percebendo que minha proposta inicial de só me divertir falharia, poderia ter parado de assistir ao programa, mas persisti. ‘Que mal tem?’, pensei. Estava, enfim, imerso na vivência do Big Brother e totalmente vulnerável à opinião alheia.

Meu primeiro stress veio quando um pesado julgamento moral caiu sobre a participante Tessália. Mesmo sabendo que sua impopularidade era anterior ao suposto boquete, fiquei chateado de ver como as pessoas no Brasil ainda têm dificuldade para lidar com assuntos sexuais. E de ver como a mulher só poder ser objeto sexual, nunca sujeito.

O segundo e definitivo stress veio com a discussão em torno do ex-atual BBB Marcelo Dourado. Suas pérolas de sabedoria – como “sou discriminado por ser heterossexual” e “homem hetero não pega AIDS” – indignaram Dicésar e o público gay, que evocavam com orgulho um termo: homofóbico. Torcedores dourados, no entanto, acusavam os homossexuais de paranóicos e exagerados.

Depois da acusação de Dicésar, o debate parece ter-se centrado na adjetivação do gaúcho: “afinal, ele É OU NÃO homofóbico?”. E foi senso comum pra todo lado, definindo que, “homofóbico é aquele indivíduo que tem nojo de gays, não pode nem chegar perto”, logo Dourado não o era por conviver com Dicésar e Serginho, logo realmente há uma paranóia gay em questão.

Ora, assim como ser homossexual, ser homofóbico não é uma sina para a qual o sujeito está predestinado. Dourado não É homofóbico de maneira definitiva, mas necessariamente FOI em alguns momentos. O que me irritou nessa história toda foi o fato de todos simplesmente ignorarem as atitudes do rapaz e se prenderem a uma discussão superficial de categorização. Enquanto fulaninha ou cicraninho eram rechaçados por fazer fofoca ou barraco, os gestos de Dourado eram totalmente ignorados – o que evidenciou uma total incapacidade, por parte do grande público, de perceber uma atitude preconceituosa.

Vejo hoje uma comunidade gay indignada com a perspectiva de vitória de Marcelo Dourado. Uma recente lista dos 10 maiores inimigos públicos dos homossexuais no Brasil menciona-o, junto a grande nomes homofóbicos tupiniquins como Magno Malta e Silas Malafaia. Veja bem: um BBB, junto a um senador e um líder religioso. Como se ele fosse um avatar da homofobia, que se espalhará pelo país caso o rapaz ganhe um milhão e meio de reais. Penso que mesmo se ele não ganhasse, essa luta já estaria perdida. O Brasil já provou sua indiferença para com o preconceito e não é a vitória de um ou outro integrante do Big Brother que vai reverter isso.

Depois de toda essa saga particular com o BBB, percebo que o inimigo não é um joão ninguém de comportamento tosco e previsível, que soma agora seus 30 minutos de fama e mais de um milhão de reais. É, sim, um senso comum que está cego para a homofobia, preso ao politicamente correto e incapaz de pensar no significado do preconceito para um indivíduo. Vamos voltar nossas forças contra ele, e não contra um participante de reality show.

15 respostas para Dourado: o inimigo público dos gays?

  1. Paulo disse:

    A vitória de Dourado é só mais um episódio a nos lembrar de que a sociedade brasileira é homofóbica. E isso é importante porque precisamos admitir que a maioria das pessoas está satisfeita com o massacre de travestis, com a marginalização de casais homossexuais etc. Lidar com a realidade é o primeiro passo para transformá-la. Que o BBB sirva, portanto, para tirar os gays brasileiros da letargia.

    PS: mas isso não vai acontecer. Em junho nos encontramos novamente na Parada Gay para celebrar sabe-se lá o quê.

  2. Steve disse:

    E quando o Jean ganhou em 2005 não era Homofóbica, agora que o Dourado vai ser campeão passou a ser novamente? Se decidam.

  3. Paulo disse:

    Ué, mas não foram esses mesmos telespectadores que deram a vitória ao Jean Willis?

  4. rigazzi disse:

    vlw dourado parabens pela sua postura, vc merece, ao contrario daquele ridiculo do serginho, que acha na mente dele, que é uma menininha de 12 anos de idade, e o dicesar que pensa que é a julia roberts kkkkk tó rindo até agora, dourado é o cara.

  5. Flávia disse:

    Já esperava a vitória do Dourado, mas ainda assim fiquei pasma. Conversei com a minha psicóloga há algumas semanas como é interessante notar a mudança de padrão do público: se antes ganhava quem não fazia intriga, quem era espontâneo, do bem, hoje em dia ganha quem tem estratégia, quem controla a sua espontaneidade e não tem vergonha de ser criticado por colocar para fora o que muita gente ainda pensa – não é à toa que aparece um monte de gente assumindo o seu “orgulho hétero”. Os que defendem ou “entendem” a vitória deste “personagem” argumentam: se ele não fosse espontâneo, não diria o que pensa sobre os gays. Depois não estranhem se algum participante aparecer falando 100% branco. PS: e o Bial justificando a trajetória do Dourado? “Ele não tem nada de homofóbico”. FAIL.

  6. Elizabeth disse:

    Não foi o padrão de votação que mudou, foi simplesmente a GRANDE EXPOSIÇÃO que o Dourado se permitiu, com erros e acertos, como qquer pessoa do mundo. O assunto gay realmente é contraditorio, pois o msm BBB deu ao Jean o premio e não será que foi EXATAMENTE por ele ser Homo? So que Jean tb se mostrou com postura não caricata e Sergio e Dicesar eram caricaturas homossexuais. Pq pensa, qdo se é homosexual vc busca o seu igual e não uma pequena semelhança estereotipada do sexo oposto. O Jean sim pode ser chamado com orgulho sou GAY. Os outros infelizmente não. Simplesmente foi um brasileiro e devemos nos orgulhar disso.

  7. Diogo disse:

    Falando em bbb essa foi a primeira vez que eu acompanhei uma edição , sobre preconceito eu acho que estamos fazendo uma tempestade em um como d’água , eu acho que Dourado não foi homofónico ele só nao sabia lhe dar com as situacoes , é facil hoje todos trazer em dircurcao assuntos que sao poucos vistos pela sociedade. Aqui foro Dourado foi conciderado homofobico por ser grosso e com poucas maneiras de educacao e tambem por nao ser ipocrita ao ponto de nao espor suas ideias e que as vezes mal interpletadas , eu por exemplo sou um descendente de japones misturado com negros , em minha infancia fui bonbardiado por minha etinia e por minha condicao financeira . Hoje seique ser diferente independente de sua escolha ou opcao sexual o preconceito esta em tudo que for diferente seja negro , mestico, nordestino , pobre e etc… Ai vejo grupos estremistas dizerem em sua defesa de sua opcao sexual como sempre foram os unicos no mundo a sofrer preconceito , pois em algumas declaracoes de dicesar nao me pareceu ser ele por muitas vezes preconceituoso em relacao aos heteros nao respeitando o seu espaco e o ponto de vista de outras pessoas . O mundo é grande tem especo para todos assim como condeno o peconceito por ja ter sofrido , tambem grito bem alto VIVA O RESPEITO E SUAS DIFERENÇAS…

  8. Diogo disse:

    Falando em bbb essa foi a primeira vez que eu acompanhei uma edição , sobre preconceito eu acho que estamos fazendo uma tempestade em um como d’água , eu acho que Dourado não foi homofónico ele só nao sabia lhe dar com as situações , é fácil hoje todos trazer em dircurcao assuntos que sao poucos vistos pela sociedade. Aqui foro Dourado foi considerado homofónico por ser grosso e com poucas maneiras de educação e também por nao ser hipócrita ao ponto de nao expor suas ideias e que as vezes mal interpretadas , eu por exemplo sou um descendente de japonês misturado com negros , em minha infância fui bombardeado por minha etnia e por minha condição financeira . Hoje sei que ser diferente independente de sua escolha ou opcao sexual o preconceito esta em tudo que for diferente seja negro , mestiço, nordestino , pobre e etc…. Ai vejo grupos extremistas dizerem em sua defesa de sua opaco sexual como sempre foram os únicos no mundo a sofrer preconceito , pois em algumas declarações de dicesar nao me pareceu ser ele por muitas vezes preconceituoso em relação aos heteros nao respeitando o seu espaço e o ponto de vista de outras pessoas . O mundo é grande tem especo para todos assim como condeno o preconceito por já ter sofrido , também grito bem alto VIVA O RESPEITO E SUAS DIFERENÇAS…

  9. Diogo disse:

    Falando em bbb essa foi a primeira vez que eu acompanhei uma edição , sobre preconceito eu acho que estamos fazendo uma tempestade em um como d’água , eu acho que Dourado não foi homofónico ele só nao sabia lhe dar com as situações , é fácil hoje todos trazer em discussão assuntos que sao poucos vistos pela sociedade. Aqui foro Dourado foi considerado homofónico por ser grosso e com poucas maneiras de educação e também por nao ser hipócrita ao ponto de nao expor suas ideias e que as vezes mal interpretadas , eu por exemplo sou um descendente de japonês misturado com negros , em minha infância fui bombardeado por minha etnia e por minha condição financeira . Hoje sei que ser diferente independente de sua escolha ou opcao sexual o preconceito esta em tudo que for diferente seja negro , mestiço, nordestino , pobre e etc…. Ai vejo grupos extremistas dizerem em sua defesa de sua opaco sexual como sempre foram os únicos no mundo a sofrer preconceito , pois em algumas declarações de dicesar me pareceu ser ele por muitas vezes preconceituoso em relação aos heteros, nao respeitando o espaço e o ponto de vista de outras pessoas . O mundo é grande tem especo para todos assim como condeno o preconceito por já ter sofrido , também grito bem alto VIVA O RESPEITO E SUAS DIFERENÇAS…
    Eu torci muito para o dourado não por suas atitudes em relação aos gays e sim pela sua franqueza e coragem de expor sua ideias doa a quem doer sem se preocupar em agradar a todos sendo hipócrita e mentiroso

  10. liliam disse:

    Gostaria que as votações do BBB10 fosse só através do telefone, aí sim, teríamos a real noção do pensamento do público. foram mais de 150 milhões de voto, não de pessoas, por isso não dá pra avaliar o ponto de vista do público.Mas parabéns ao vencedor.

  11. Cláudio Luiz disse:

    Concordo com a Lilian. Não que a vitória do homofóbico dourado tenha me surpreendido, mas o peso dela não é o que traduz a votação, já que é possível votar mais de uma vez. Mas mesmo sendo o número de apoiadores e seguidores de dourado pequeno, ainda assim não deixa de ser assustador.
    Agora, temos claro que é necessário reforçar a luta.

  12. Benjamin Bee disse:

    Much ado about nothing. “Venhamos e venhamos”… Não acompanhei, nem vi um programa sequer. Nem tenho televisão. Ibope não é comigo, muito menos o dinheiro que ele implica. Mas li na internet um apanhado geral e reparei umas coisas que ainda estão no ar.

    E vou comentar, argh! Porque tudo é muito mais do que se apresenta. Está claríssimo.

    O resultado das “votações” – leia-se pulsos telefônicos a preço de ouro e votos interneteiros não menos baratos – não bateram com as votações de inúmeros, eu disse, inúmeros sitios ditos sérios, que promoveram suas próprias enquetes.

    No Orkut e outros portais de relacionamentos, a chamada Máfia Dourada, divulgou “scripts” à moda “partisans” que ensinavam seus membros “mafiosos” a acelerarem as votações no site oficial da Globo. Os votos computados via internet, este ano, passaram a ter o “mesmo peso” que os votos “comprados”. O diretor do programa, Boninho, reconheceu que o sistema é falho. Significa que a “estatística” que sugere a votação estava viciada na origem. Ainda bem que não é a urna eletrônica do Sistema Eleitoral Brasileiro, ou então a democracia já teria ido pro brejo.

    A escolha dos participantes segue a regra mór da dramaturgia. O conflito é que sustenta a ação e a ação é que prende o espectador. O conteúdo, a mensagem é de menor importância. Schwarzeneger, Stallone estão aí que não me deixam mentir.

    Boninho então escolhe dois confrontantes, tipificados descaradamente.

    Deste lado, à direita… os conservadores homofóbicos (aplausos, vaias, urros e afins – entra a equipe liderada pelo pitbull Dourado) e deste outro lado, à esquerda… os revolucionários extremistas do “oprimidos” (aplausos, vaias, urros e afins – entra a equipe liderada pela drag Dimmy Keer, alcunhado e travestido de Dicesar). Se Boninho não tivesse apostado nos coloridos, o BBB10 nem começaria. Quem poderia se interessar? Os crentes? Só essa escolha, dos “folclóricos gays”, já mostrou o sinal da força da diversidade. Sem eles a carreira do BBB já era.

    Gongo!

    O embate começa, cada um usando as armas de lata que tem, e o sangue deita a correr à larga na arena. O público delira a cada chute, a cada estocada. A ilha de edição trabalha a todo vapor. Números, quero números! Nem que sejam falsos!! – grita Boninho dos bastidores ao prompt do juíz Bial, o poeta sem poesia, amigo de infância de Cazuza (este, um grande poeta de verdade).

    Uma luta que durou um enorme tempo… perdido… tempo esse que nínguém procurou, nem Proust.

    A equipe vencedora, com total de votos quase igual à população do Brasil, chega ao cinturão de ouro de 1.5milhão, prêmio tão alto quanto o Nobel da Paz, de Física, Química, Literatura…

    E assim o BBB10 chega ao fim da sua mais recente edição com, como não poderia deixar de ser, a jactância dos vitoriosos e a humilhação dos derrotados, que certamente planejam sua revanche. Boninho por seu turno, por isso mesmo – escorado na expectativa da imperdível revanche dos derrotados – respira aliviado porque abriu-se-lhe a porta, a oportunidade para o BBB11, que estava com os dias contados. Venci! – disse ele. Meu emprego está garantido! Ah… nada como investir no futuro, nada como capitalizar…

    E o mundo… Ai, o mundo, meu Deus! Todos comentaram, todos viram, todos participaram, todos emitiram juízo sobre… o nada.

    Até eu… Que vergonha! Perdoa-me, Senhor Jesus!

    No subtexto, que eu não quero acreditar que não exista, dessa obra prima da cultura de consumo; nas entrelinhas desse embate, dessa luxúria vampiresca, desse delírio pelo vazio, o que se verificará – e que eu sonho que ocorra um dia – é o descarte definitivo dos surrados antolhos, que já não se sustentam de podres.

  13. Benjamin Bee disse:

    De novo…

    A sociedade brasileira é muito mais tolerante com um “drag queen” do que com um “pitbull”, simplesmente porque aquele não a ameaça como este. Este é o sinal da tirania contra tudo e todos enquanto aquele é analogia da liberdade que todo ser social almeja. Cada qual quer ser único ele mesmo, a partir do seu proprio coração e sabe que para isso é fundamental permitir que o outro seja assim também. E não é necessário fazer pesquisa de opinião pública para se chegar a essa conclusão. Ela é óbvia.

    A sociedade brasileira “inculta e bela”, última flor da Lácio :) , deu um baile de inteligência quando permitiu que as facções usassem de subterfúgios ilegítimos – os votos repetidos indefinidamente – para demonstrar, a posteriori e definitivamente, que ela, sociedade, não pretende deixar-se enganar.

    O nº de votos dessas enquetes não é afinal o nº de espectadores-“avaliadores” da telinha, portanto não representa a opinião nacional. E não se pode apelar para a estatística porque o universo de pesquisa é virtual e não real. Vale conferir:

    “Mesmo batendo um recorde de votação –mais de 154 milhões de votos, segundo o apresentador Pedro Bial– a final do “BBB10” empatou com a edição anterior como a pior audiência entre todas as finais do “Big Brother Brasil”.”

    “Em relação ao número de votos, a final do “BBB10″ teve mais que o triplo de participação que a edição anterior, que registrou pouco mais de 44 milhões no ano passado.”

    fonte: http://noticias.bol.uol.com.br/bbb10/2010/03/31/apesar-de-votacao-recorde-final-do-bbb10-repete-pior-marca-no-ibope.jhtm

    A Globo conseguiu sim, um feito extraordinário impedindo a continuação da queda da audiência desse programa. É bem possível que a pendenga que ficou suspensa no ar volte a se repetir no BBB11 porque afinal, impediu o enterro clássico de um programa televisivo.

    ………………………..

    Especulando…

    Poderíamos supor que na próxima edição do BBB o conflito dramático fosse determinado pela discussão em torno do aborto. O que se espera que poderia acontecer?

    De um lado os pró-vida e do outro os pró-aborto. Seguramente a audiência explodiria. Isso porque a nação brasileira é visceralmente contra o aborto. Querem apostar?

    Contudo, os ativistas pró-aborto são como foi a Máfia Dourada, muito mais ativos, mais aguerridos. Capazes de não sei o quê para tentar incutir à massa a idéia de que o Brasil é pró-aborto.

    Espero que o Boninho me pague royalties pela idéia. :)

  14. disk sexo disse:

    Dourado realmente fez historia no bbb
    parabens pelo blog

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: