Homofobia e Ignorância – O Retorno

27 de junho de 2009

Não bastasse o fiasco no dia mundial de combate à homofobia, o colunista da Zero Hora, Paulo Sant’Anna, comete outra gafe um dia antes do Dia Mundial do Orgulho LGBT. Em sua “homenagem” ao falecido Michael Jackson, Sant’Anna refere-se a ele como transexual.

Além de ser uma exímia demonstração de inaptidão a escrever um simples texto sobre uma estrela da música internacional, é também comprovação da ignorância de Paulo Sant’Anna em relação a qualquer assunto que não envolva futebol, o esporte viril e varonil que nada tem a ver com homossexuais.

É essa a homenagem da Zero Hora a Michael Jackson e à comunidade LGBT, um dia antes da necessária afirmação de seu orgulho: uma nota na página inicial se referindo a Michael como um transexual.

Transexual

Anúncios

Homofobia e ignorância: carta a Zero Hora

18 de maio de 2009

Hoje é Dia Mundial de Combate à Homofobia. Protestos e comemorações lembram o dia 17 de maio de 1990, em que a Organização Mundial de Saúde retirou a homossexualidade do Código Internacional de Doenças.

É no mínimo irônico que a coluna de Paulo Sant’Ana em Zero Hora trate as lésbicas como “os sapatões” logo nessa data, e confunda travestis, transexuais e homossexuais exatamente no ano em que o tema para discussão é a transfobia, preconceito contra transgêneros.

Aqui em casa já vínhamos cogitando cancelar nossa assinatura da Zero Hora. Esse texto ofensivo e homofóbico de Paulo Sant’Anna é só o empurrãozinho que faltava.

É difícil organizar os pensamentos quando a indignação chega ao nível que sinto agora. Nessa hora, o melhor que faço é colar o e-mail que a Germana, minha esposa, escreveu para o jornal.

Boa noite.

Primeiramente gostaria de dizer que espero, sinceramente, que esta opinião sirva para que haja, ao menos, uma discussão acerca do que se publica no Jornal Zero Hora.

Sou assinante há mais de um ano e meio, e amanhã pela tarde cancelarei minha assinatura, pois fui profundamente ofendida pela coluna dominical do Paulo Sant´anna no dia de hoje, 17.05.2009.

Ao tratar de uma tema que o referido colunista, claramente, não domina, ele cai no erro comum de não entender a diferença entre homossexuais – pessoas que sentem atração por pessoas do mesmo sexo -, e transexuais – pessoas que não se sentem à vontade com o corpo que possuem, desejando assim pertencer a outro gênero.

Tudo bem, é um erro comum. Agora, tratar de homossexuais femininas com termos chulos, insinuando que todos os homossexuais são sem vergonhas e vão transar sem critérios dentro do presídio (coisa que é corriqueira entre os presidiários heterossexuais, como é sabido por todos), passa – E MUITO – dos limites.

Antes de tudo, a Zero Hora não deveria jamais permitir que se publicasse uma coluna com tantos termos ofensivos. Vocês não deixariam passar um coluna falando dos “crioulos” ou “judeuzada pão-dura”, não é mesmo?

Por que a diferença de tratamento, então?

E isso me leva à minha decisão de cancelamento da assinatura: se um colunista pode falar deste jeito ofensivo e baixo numa coluna dominical, logo a mais vendida, então é porque considera os gays como cidadãos que não merecem respeito. E, sendo assim, vocês não merecem mais o meu dinheiro, o meu tempo, e meu respeito.

Sinceramente, espero que esse e-mail seja lido, e principalmente seja levado à sério, pois vocês deram essa mancada justo no dia de hoje, que se comemora a luta mundial contra a homofobia.

E sobre isso eu não li nada, nem uma notinha.